XIV Congresso da CGTP-IN renova dirigentes e expressa solidariedade ao povo brasileiro

Isabel Camarinha, Secretária-Geral da CGTP-IN, discursando no XIV Congresso.

A maior Central Sindical portuguesa realizou Congresso sexta-feira e sábado, 14 e 15. O evento ocorreu no Seixal, a sul de Lisboa. Os órgãos dirigentes da CGTP-IN foram renovados e foi aprovado o Programa de Ação para os anos 2020-2024. O documento aborda a solidariedade internacional e a luta dos povos pelos direitos trabalhistas. Inclui ainda uma referência à política de extrema-direita de Bolsonaro.

Militantes brasileiras/os e a coordenação do Núcleo do PT Lisboa assistiram ao Congresso. A CGTP-IN tem parceria com a CUT, que esteve representada por Roberto Leão, vice-presidente da Internacional da Educação e ex-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Em vídeo partilhado com o Núcleo do PT Lisboa, Roberto Leão, que também é filiado no Partido dos Trabalhadores, realçou a importância da luta do Partido, no Brasil e no exterior.

Solidariedade com o povo brasileiro e com Lula

Arménio Carlos cessou funções como Secretário-Geral. Isabel Camarinha, do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), é a nova Secretária-Geral. Identificou como prioridades o aumento dos salários, a redução do horário de trabalho e a conciliação da vida profissional com a familiar.

Junto da coordenação do Núcleo do PT Lisboa, Arménio Carlos e Isabel Camarinha reafirmaram o apoio das lideranças sindicais portuguesas às lutas do povo brasileiro. Lutar, avançar nos direitos e lutar pelos trabalhadores são palavras desse Congresso e que unem as nossas lutas.

Arménio Carlos (ao centro) reafirmou o apoio das lideranças sindicais portuguesas às lutas do povo brasileiro.

Como muitas organizações pelo Mundo, a CGTP-IN denuncia publicamente a perseguição política contra Lula e os retrocessos que o Brasil atravessa. A CGTP-IN tem manifestado solidariedade internacional nas lutas pela democracia no Brasil, pelos direitos do povo e pelo reconhecimento da inocência do ex-presidente Lula.